gallery/logotipo

(Voltar ao índice)

Glúteos (Nádegas)

Para que serve?

  • Melhora a forma das nádegas, corrigindo a sua queda e melhorando a projecção

O que é?

  • O lift dos glúteos, ou bodylift posterior, é um procedimento cirúrgico geralmente usado em pacientes previamente obesas e que, entretanto, perderam peso (cirurgia bariátrica), daí resultando nádegas (glúteos) com algum grau de queda, flacidez e perda de projecção. A cirurgia implica a excisão de pele da região lombossagrada (acima das nádegas) que está em excesso e também de parte da gordura, aproveitando a outra parte para dar preenchimento e projecção aos glúteos. A cicatriz fica, deste modo, disfarçada dentro das marcas da roupa interior. A lipoaspiração pode complementar o procedimento, melhorando a definição dessa zona e dos flancos.

  • A vantagem de realizar este procedimento e a abdominoplastia como dois procedimentos isolados, em comparação com o bodylift circular em que tudo é feito ao mesmo tempo, é a capacidade de se maximizar a tensão da pele, sem comprometer a cicatrização, deste modo obtendo resultados estéticos ainda mais favoráveis.

Tempo do procedimento

  • 2 horas

Outros procedimentos que se podem associar

  • Lipoaspiração, body-lift circular, abdominoplastia

Tipo de anestesia

  • Anestesia geral

Cicatriz

  • A cicatriz tem orientação horizontal e situa-se na porção superior das nádegas, acompanhando a sua ligeira curvatura, geralmente de um lado ao outro do corpo

Internamento

  • 1 a 2 dias de internamento

Recuperação

  • Deve evitar o apoio sobre a zona operada durante as primeiras 2-3 semanas, podendo retomar a actividade profissional às 2-3 semanas dependendo do trabalho, desde que não exija esforços. O exercício físico retoma-se às 6 semanas. Durante esse tempo, deve usar uma cinta abdominal compressiva, recomendada especificamente pela nossa equipa. A drenagem linfática feita por profissionais com experiência neste tipo de procedimentos é uma técnica complementar que pode ser realizada a partir dos 15 dias

Riscos e problemas mais frequentes

  • É de esperar algum inchaço e nódoas negras nos primeiros dias, e uma redução da sensibilidade da pele “esticada” durante algumas semanas a meses. Os problemas mais frequentes são o seroma e pequenos problemas de cicatrização, que são geralmente pouco relevantes. Mais raros são o hematoma e a infecção, a cicatrização excessiva e o aparecimento de tecido adiposo desvitalizado (esteatonecrose). Uma das complicações mais temíveis é a tromboembolia pulmonar, pelo que a deambulação precoce é importante

Longevidade do procedimento

  • O procedimento é definitivo desde que não haja variações importantes do peso

Lift dos glúteos (“Bodylift posterior”)

gallery/pernas